Aceitar-se por inteiro

Aceitar-se por inteiro

Por vezes, na vida, oferecemos às pessoas somente uma perspectiva sobre nós, uma que geralmente não nos revela por inteiro.

O nosso interesse, em tempos de rede, tem sido a busca e revelação do nosso melhor ângulo. Mas o lado impecável sempre será apenas um lado. A inteireza da vida é uma unidade que se desfaz, que se quebra, e que se frustra também…

Falsificar quem somos é aceitar a plasticidade da vida, é tentar salvar nossas aparências, enquanto, o que realmente precisa ser salvo diariamente é o nosso coração, pois é ali que mora a nossa verdade.

Adulterar a vida tem sido a realidade de muitos, e essa é uma das razões pela qual os consultórios terapêuticos estão cada dia mais lotados, e o suicídio, por vezes, tem sido o único escape. Este cenário mostra que não damos conta das aparências, porque ao nos deitarmos, ao ficarmos em silêncio (se é que ficamos), é o vazio que nos despe, e essa nudez identitária nos gera angústia.

Desejo e oro para que nossa caminhada não seja uma ofensa à vida! Deus não irá salvar nossa imagem, mas quem somos verdadeiramente, porque é nisto que Ele acredita, porque é isso que Ele ama.

Alynne Sipaúba
Escrito por
Alynne Sipaúba
Deixe seu comentário

Alynne Sipaúba

Alynne Sipaúba

Alynne Sipaúba é jornalista e teóloga.